Desde o surgimento da aviação comercial, os acidentes aéreos tem sido tema de preocupação global. Porém, com o avanço da tecnologia e das medidas de segurança adotadas pela indústria aérea, os números de acidentes reduziram drasticamente nas últimas décadas.

De acordo com dados da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), em 2019, foram registrados 86 acidentes aéreos de aviões de passageiros em todo o mundo, resultando em 257 mortes. Em comparação, em 1972, foram registrados 2.373 mortes em acidentes aéreos.

Além disso, o número de acidentes por milhares de voos também apresentou redução significativa, com a média global sendo de 1 acidente a cada 2,5 milhões de voos em 2019.

É importante destacar que a maioria dos acidentes aéreos são causados por fatores humanos, como erros do piloto ou falhas de manutenção. Por isso, a indústria aeronáutica tem investido cada vez mais em tecnologias que auxiliem os pilotos e reduzam a possibilidade de falhas humanas, como sistemas de pilotagem automática e alertas de colisão.

Também são constantes as revisões e auditorias nas companhias aéreas e nos equipamentos utilizados, visando garantir os maiores padrões de segurança.

Apesar da melhoria na segurança aérea, é compreensível que o medo de voar ainda acomete muitas pessoas. Porém, é importante lembrar que a probabilidade de sofrer um acidente aéreo é extremamente baixa e que voar ainda é uma das formas mais seguras de transporte.

Em conclusão, de acordo com as estatísticas apresentadas, é possível afirmar que os acidentes aéreos são cada vez mais raros e que a indústria aeronáutica tem investido constantemente em tecnologias e medidas de segurança para garantir a melhor experiência de viagem para os passageiros.